I ERGA-SE COM AS ÁGUAS DA AGROECOLOGIA

Saudações agroecológicas a todos leitores!

Depois de um tempo sem atualizarção das atividades realizadas pelo Kapi’xawa, o site está reativado! Para marcar essa volta com chave de ouro, resolvemos trazer este post com algumas imagens que marcam momentos muitos especiais das vivências do Primeiro Encontro dos Grupos de Agroecologia do Sudeste que ocorreu entre os dias 12 e 16 de Outubro de 2016 aqui na região de Alegre e do Caparaó (ES).

Logo logo voltaremos com mais registro de atividades. Axé!

2º Mutirão Propriedade Valdir Pereira de Castro

No ultimo dia 24 de novembro aconteceu mais um mutirão realizado na propriedade do Valdir, o grupo está realizando atividades na propriedade que visam contribuir para o processo de transição agroecologica. Até a realização do mutirão foram realizadas conversas com o Valdir sobre as perspectivas para o agroecossistema, as técnicas que seriam utilizadas e as análises químicas de solo para realizar a recomendação de adubação e calagem.

As atividades realizadas pela manhã foram na parte do café que precisa de maior atenção devido a análise de solo, as técnicas utilizadas foram Adubação Verde e Plantio de Mudas.

A adubação verde foi feita utilizando feijão de porco, feijão guandu e crotálaria sendo plantadas nas entrelinhas do cafezal sempre deixando uma linha sem nada a cada duas linhas plantadas. O Plantio de mudas foi realizado de forma espaçada sendo ao total 9 mudas, em sua maioria Ingá.

Voltamos para casa do Valdir semeando em toda a extensão da estrada que da acesso à casa, sementes de crotalária, feijão guandú, feijão de porco e mucuna rajada.

Na parte dos tarde demos início às atividades indo até a nascente que abastece a casa, onde o Valdir junto com o grupo tinha iniciado o cercamento. O Valdir já tinha plantado algumas mudas de banana e de amora ao redor da vazante, a regeneração está visível. Aproveitamos para semear mais leguminosas em volta das bananeiras e em algumas linhas de plantio.

Depois fomos até os taludes observar o sistema de cultivo de arroz e a contensão da água, que o Valdir fez com auxílio do Newton Campos (Sítio Jaqueira Agroecologia).

Em seguida fizemos o manejo das caixas secas iniciadas pelo Valdir e abrimos outras, todas elas no caminho da casa até a horta.

DSC05571

DSC05574

DSC05595

DSC05604

DSC05622DSC05624

Educação Ambiental no Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça

Na semana passada foi realizado o nivelamento dos condutores ambientais do Projeto de Reestruturação do Grupo de Condutores Ambientais e Valorização da Comunidade do Entorno do Parque Estadual Cachoeira da Fumaça.  Ao todo, 15 condutores, que já participaram das capacitações promovidas pela Unidade de Conservação,  foram capacitados para atuarem no Projeto que já está em ocorrendo. Vale ressaltar que o Parque Estadual Cachoeira da Fumaça foi a única UC estadual que foi contemplada pelo edital da SECULT.

Nesse sábado (06/10), o Grupo de Condutores Ambientais da CAchoeira da Fumaça atendeu um grupo de 68 Estudantes de Biologia (CEDERJ-RJ) do município de Itaperuna, Estado do Rio de Janeiro.

Ao todo, 11 condutores ambientais levaram os visitantes para conhecer a Trilha do córrego da Graminha, a qual recebeu novas placas interpretativas elaboradas pelo grupo como resultado do nivelamento dos dias 27 e 28 de setembro.  Além disso, foi servido o café da manhã feito pela comunidade,  tudo viabilizado através do projeto.

O Grupo de Condutores Ambientais do Parque Estadual Cachoeira da Fumaça, foi formado a partir da união dos Monitores Ambientais que trabalharam na Temporada de Verão 2012. Desde então, o Grupo tem se articulado para formar uma equipe coesa que possa oferecer um atendimento de qualidade e um produto diferenciado aos visitantes,  proporcionando uma experiência única de contato com a Natureza.

O Projeto foi contemplado pelo Edital de SELEÇÃO DE PROJETOS CULTURAIS DE VALORIZAÇÃO DO PATRIMÔNIO NATURAL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO (Edital 33/2012),  realizado pela SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA – SECULT.  Tem por objetivo fortalecer turismo de base comunitária no entorno e no interior do Parque, retomando as atividades já desenvolvidas durante a Temporada de Verão, mas, neste momento, com grupos escolares. Fomentando assim, a inclusão de novos  moradores e, posteriormente, estudar a melhor forma de regularização jurídica do Grupo. Além disso, as escolas beneficiadas  contarão com a prestação de um serviço de qualidade valorizando a comunidade local. Ao todo serão atendidos 30 grupos escolares, que contarão com o atendimentos dos condutores e lanche feito pela comunidade, fornecido gratuitamente pelo projeto.

A captação de recursos financeiros por Condutores Ambientais é uma iniciativa pioneira dentro das Unidades de Conservação Estaduais do Espírito Santo. Isso, deve-se, principalmente, ao esforço dos Gestores do Parque Estadual Cachoeira da Fumaça que, há vários anos, vem promovendo a capacitação e fomentando o desenvolvimento dessa atividade na região.

Com esta iniciativa e a regulamentação da atividade nas Unidades de Conservação Estaduais, esperamos que outros grupos se formem. Pois o Condutor Ambiental é o elo entre o visitante e a área natural, que transforma um simples passeio  numa oportunidade de reconhecer a importância da conservação da natureza.

Cercando Nascente e Preservando o Ambiente!

No primeiro Domingo do mês de setembro (02/09/12), membros do grupo Kapixawa participaram de um mutirão para cercar a nascente que leva água até a casa de Waldir Pereira de Castro, Agricultor, Poeta, Artesão e Cantor, seu sítio fica localizado na Comunidade da Roseira, Distrito do Café, em Alegre ES.

Foi a primeira vez que o grupo se reuniu para cercar uma nascente, era uma experiência nova para todos. Carregar estacas, pegar o arrame, fazer buracos, ver a distância correta, tocar berimbau, fazer rima, tudo para cercar a nascente.

Cercar nascentes é de extrema importância para preservar a água e as espécies de mata ciliar, hoje em dia ouvimos e vemos diversos casos de pecuaristas que deixam suas nascentes desprotegidas, levando o gado a beber e pisotear a água da nascente, o que gera a degradação da nascente em pouco tempo.

Não conseguimos cercar toda a nascente, mas isso não é um problema, é uma nova oportunidade de voltar e aprender cada dia mais. Quem tiver vontade de ir sinta-se convidado e venha! Ainda voltaremos para terminar a cerca.

Filme: O VENENO ESTÁ NA MESA

Este documentário lançado neste ano e dirigido pelo premiado cineasta brasileiro Silvio Tendler alerta sobre o uso indiscriminado de agrotóxicos na agricultura brasileira, que atualmente é a recordista mundial no uso desses agentes químicos fornecidos por empresas como BASF, Bayer, Dupont, Monsanto, entre outras. Muitos dos venenos produzidos por estas empresas foram banidos em vários países de todos os continentes, mas no Brasil continuam em uso, inclusive pelos pequenos agricultores, que são obrigados a usar sementes transgênicas e pesticidas para conseguir crédito junto aos bancos.
O filme de apenas 50 minutos faz parte da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida. Ele nos dá uma noção bem abrangente da gravidade do assunto, apontando os riscos ambientais e de saúde pública, além dos históricos interesses econômicos da iniciativa pública e privada neste setor. Confira: